Blog de EaL 2018

Día #2 (Jueves 4 de enero)

Lindamey Ferreira (Macapá, Brasil)

Oi, pessoal! Eu me chamo Lindamey. Na atividade matutina do dia nos agrupamos de maneira crescente conforme nossas datas de nascimento, contudo sem que falássemos, somente com mímicas. Ao final, cometemos alguns equívocos que, embora nao significativos, nos mostraram como a falha na comunicação, o erro na escolha de registro ou os equívocos de linguagem que cometemos durante nossas atividades cotidianas podem fazer com que haja uma falha nas interações em sociedade.

Após termos o café da manha, nos direcionamos para a agencia de paz, o qual é uma atividade que temos todos os días a qual baseia’se em discutir e debater as principais nuances vinculadas a paz. O primeiro assunto que tratamos foram os conceitos de paz coletiva e individual, a qual segundo conclusão grupal é afetada diretamente pelo ambiente, pois caso este nao esteja em harmonia, ou seja, esteja exercendo pressão sobre os individuos, nao há como haver a paz individual que è fundamental para o estabelecimento de uma comunidade sem conflitos e consolidada. Logo, a paz individual gera a paz coletiva.

Algumas pressões que podem ser exercidas sobre os individuos de uma sociedade sao ´dois pontos´ o preconceito, a intolerancia, a opressão, a censura e outras questões sociais que originam a violencia e a mesma atinge o conjunto social, afeta a individualidade, ou seja, a paz que um individuo irá ter, dependerá do ambiente e da condição em que este individuo se encontra. Portanto, para que haja a paz, é necessário primeiramente solucionar os problemas que assolam a sociedade em questão, de maneira a tornar os individuos menos perturbados e gerar a paz coletiva. Contudo, isto deve ser real, visto que, muitas vezes, mesmo que haja o acordo de solução das problemáticas nao há resolução efetiva destes e os mesmos permanecem.

É importante refletir também, mesmo que esta seja uma visão contra ‘há um hífen aquí´ intuitiva, que a violencia impulsiona o desejo pela paz. Reflexionamos também sobre a violencia física e psicológica, onde a física esta relacionada com as injurias diretas elaboradas contra um individuo e a psicológica relaciona’se com as opressões e lesões que afetam o psicológico. Debatemos também sobre o conceito de violencia  de recompensa ou castigo, onde as duas podem abranger as diferentes clases, as interações elaboradas nestas classes, como por exemplo, dentre o militarismo, o qual impõe a violencia sobre os recrutas para que os mesmos possam reproduzi-la mais tarde. Esta violencia è executada para que os militares permaneçam no exercito e recebam um salario para isso, ou seja, sao pagos para exercer a violencia e também neste mesmo contexto, podemos citar a violencia como castigo, a qual pode ser executada quando algum membro militar descumpre uma ação ou uma tarefa e acaba sendo punido por isto.

 

Debatemos também questoes sobre a violencia positiva e negativa. O fato geral é que quase sempre a violencia é negativa, no entanto, há ocasioes em que a violencia serve como impulso para a construção da paz. Os diferentes tipos de violencia sao gerados quase sempre pela falta de direitos e também pela legitimação de uns sobre os outros.

 

Por meio de nossa discussão, foi possível chegarmos a uma definição final de que violencia seria o ataque aos direitos gerais dos seres ´há um hífen aqui´ humanos, desrespeito a sua individualidade e a legitimação de alguns sobre os outros que gera uma ausencia de dignidade, um vazio que deveria originar a necessidade de lutar contra estes problemas.

 

Citamos também que a violencia estrutural, encontra’se em bases sociais como a escola, igreja e familia, a direita infringe os códigos de direito, enquanto a cultural está incluida na interação histórica de um grupo.  

VideoBlog de EaL 2018

Dickson Villegas (Moquegua, Perú)

¡Contáctanos!

Si deseas entrar en contacto con Empoderando Juventudes, escríbenos a equipo@empojuve.org

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter